Site Overlay

10 small caps promissoras para 2022, segundo analistas

Por serem menos faladas e negociadas, alguns investidores consideram um pouco mais difícil investir em small caps. O desafio se torna maior em meio às incertezas do novo ano que se inicia, com inflação elevada no país, eleições a caminho e perspectiva de crescimento econômico menor. Nesse cenário, diversos especialistas já começaram a projetar quais ativos desta classe podem se destacar em 2022.

Max Bohm, head de small caps do TC, explica que, apesar de essas empresas serem menos conhecidas entre os investidores, elas também pode gerar bons retornos. Segundo Bohm, as small caps podem ser uma alternativa ao investidor para conseguir comprar ações de boas empresas com preços convidativos.

“Estas companhias não costumam estar no radar de grandes investidores, tornando, assim, as ações mais baratas, sendo uma boa oportunidade para o investidor encontrar bons ativos antes que ganhe conhecimento e interesse de muitos”, diz Bohm.

Enrico Cozzolino, analista da Levante Investimentos, alerta, no entanto, que possíveis restrições, falta de informação da companhia e de selos de governança, além da própria estrutura de capital não ser muito vantajosa, podem ser algumas desvantagens desses ativos.

Small caps promissoras

O InvestNews perguntou a especialistas de 4 casas de análise melhores small caps para investir em 2022. O resultado foi uma lista com 10 ativos:

  • BrasilAgro (AGRO3)
  • Alper (APER3)
  • Instituto Hermes Pardini (PARD3)
  • Ambipar (AMBP3)
  • Irani (RANI3)
  • 3R Petroleum (RRRP3)
  • Randon (RAPT4)
  • Espaço Laser (ESPA3)
  • Positivo (POSI3)
  • Sinqia (SQIA3)
  • Confira as explicações dos especialistas para a escolha das small caps promissoras:

    Levante Investimentos

    Para Enrico Cozzolino, analista da Levante Investimentos, a small cap BrasilAgro (AGRO3) pode se destacar em 2022, pelo fato de a companhia ser relacionada com o setor de agronegócio.

    “Agronegócio é parte importante do nosso Produto Interno Bruto (PIB). Então, acredito que é um setor que pode mostrar uma recuperação, depois de ter frustrado um pouco nosso último PIB. Trata-se de uma empresa que ganha vendendo, alugando, gerenciando terras que estão relacionadas com o agronegócio”, avalia Cozzolino.

    Nord Research

    Para André Zonaro, analista da Nord Research, as small caps promissoras para 2022 são aquelas que sejam menos correlacionadas com a economia, pois, segundo ele, em um cenário de incerteza econômica, as empresas que dependem da atividade do país para crescer, como varejo e construção, por exemplo, tendem a sofrer um pouco mais.

    Neste cenário, a small cap Alper (APER3), de gestão de seguros, é uma das apostas de Zonaro. Ele explica que a maior parte das receitas da companhia vem de linhas de negócios que não estão correlacionadas com a economia, além de a empresa ter receitas recorrentes, independente do cenário econômico do país.

    Outra small cap que o analista da Nord destaca para 2022 é o Instituto Hermes Pardini (PARD3). Para ele, com arrefecimento da pandemia, a realização de exames eletivos está voltando a ganhar força após uma demanda reprimida, e a empresa tem trabalhado para crescer em 2022, independentemente dos resultados de covid-19.

    Guide Investimentos

    Rodrigo Crespi, analista da Guide Investimentos, destaca a Ambipar (AMBP3) como small cap promissora para 2022, pelo fato de a companhia ter reportado crescimento acima do esperado, considerado sólido, além de já ter feito mais cinco aquisições depois do 3º trimestre.

    “A Ambipar tem um potencial de crescimento muito elevado. O maior risco seria de execução e sinergia dessas aquisições com o seu modelo. Ela tem feito compras na América Latina, Estados Unidos e Reino Unido, aumentando bastante sua presença, o que a gente vê com bons olhos”, destaca Crespi.

    O analista da Guide também considera a Irani (RANI3) como destaque para 2022, por ter tido resultados operacionais cada vez mais interessantes, se beneficiado do preço da commodities, além de, em nível operacional, ter sido eficiente, com crescimento constante nos últimos trimestres.

    “É uma grande  aposta. Exposta à commodity, a Irani tem exposição ao dólar. Em 2022, estamos pessimistas com o cenário doméstico. Então, empresas dolarizadas, relacionadas a commodities, devem ser as com performances mais positivas da bolsa brasileira”, acredita Crespi.

    A 3R Petroleum (RRRP3) também é mais uma aposta do analista da Guide para 2022, por ter tido resultados considerados interessantes, aproveitando a alta do preço do petróleo, o que beneficia geração de caixa da companhia.

    “A empresa vai continuar a se aproveitar da política de desinvestimento da Petrobras, o que aumenta o potencial de crescimento da companhia, a depender da sua execução. Ela é uma grande promessa, mas em nível operacional ainda falta um pouco a entregar para se tornar o que o mercado tem esperando. Então, tem potencial de valorização bastante elevado”, afirma Rodrigo Crespi.

    TC

    Max Bohm, head de small caps do TC, considera ser difícil defender setores que serão vencedores em 2022, devido a um cenário econômico mais complicado e difícil no país, com quadro recessivo.

    “O importante é o investidor ter uma carteira de small caps diversificada. Não há um setor que vai se destacar, continuo acreditando que o investidor tenha que fazer uma carteira diversificada para poder colher frutos”, destaca Bohm.

    Entre algumas recomendações do head de small caps do TC está a Randon (RAPT4). Bohm acredita que o agronegócio vai continuar forte ano que vem, e considera que a companhia captura bem o crescimento do setor, já que 70% dos clientes da empresa são do agronegócio.

    Ele avalia também a Espaço Laser (ESPA3) como uma small cap promissora para 2022, pelo fato da ação da companhia estar barata, além de pode ter uma recuperação ao longo do ano.

    As ações de Positivo (POSI3) e Sinqia (SQIA3) também ganham destaque do especialista para 2022. A primeira, de acordo com Bohm, por ter mudado sua estratégia e estar muito bem-sucedida nela. Já a Sinqia, pela possibilidade de a companhia estar mais forte na realização de aquisições nos próximos meses, podendo mudar de patamar de receita ao longo de 2022.