Site Overlay

Ação da Viver cai 51% nesta quinta, mas acumula alta de 95% em junho

As ações da Viver Incorporadora e Construtora (VIVR3) caíram mais de 51% nesta quinta-feira (24), em mais um dia de forte oscilação dos papéis na bolsa de valores. Em junho, no entanto, o papel ainda acumula uma alta de mais de 95%.

O papel VIVR3 vem apresentando fortes sequências de alta desde a semana passada. Em 5 pregões consecutivos de alta até a quarta-feira (23), a ação da Viver acumulou alta de mais de 263%.

Após pedido de esclarecimento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre o movimento atípico da ação, a Viver emitiu comunicado citando o pedido de encerramento da recuperação judicial, acrescentando que “não há qualquer outro fato ou ato relevante, que seja de seu conhecimento, que justifique as movimentações atípicas” da ação VIVR3.

VIVR3 é ‘mico’?

O analista Eduardo Perez, da Easynvest By Nubank, afirma que “a Viver é o clássico exemplo de ‘micão’ da bolsa”, e que existe “um público investidor muito particular que gosta de operar esse tipo de ativo”.

“Não estou falando que foi 100% pessoa física que impactou esse mercado, mas, normalmente, o preço mais baixo dessas ações acaba ficando um pouco mais atrativo para o investidor que está querendo operar uma oportunidade de ouro, porque eles veem chance de, se o negócio der certo, valorizar 50%, 70%, 100%. E parece que não foi diferente com as ações da Viver”, explica Perez.

O analista comenta que a ação disparou “refletindo esse momento da empresa que parece que está querendo virar a página da recuperação judicial”, mas a recomendação é que o investidor tenha cuidado.

“Normalmente, essas empresas que a gente considera como ‘mico’ andam um pouco de lado, ou ficam caindo numa tendência de longo prazo, e aí qualquer notícia positiva para a empresa acaba impactando muito o valor, porque a gente tem muito investidor com expectativa de valorização”, diz Perez.

Veja também: