Site Overlay

Vale a pena entrar em IPO? Em 1 mês, B3 teve 9 estreias com alta e 2 com baixa

A bolsa de valores brasileira, a B3, tem nesta terça-feira (10) sua terceira estreia de agosto no mercado de ações, com o papel da Oncoclínicas (ONCO3). Será a 12ª empresa a chegar ao mercado em cerca de 1 mês. Nesse período, 9 das 11 estreantes tiveram alta no primeiro dia de negociação de suas ações. 

A Oncoclínicas é uma empresa que atua no mercado brasileiro de oncologia clínica privada. Um dia antes de sua chegada à B3, outra empresa da área de saúde também fez sua estreia na bolsa: nesta segunda (9), a plataforma de soluções para a cadeia de saúde Viveo (VVEO3) estreou na bolsa, com as ações subindo 9,44% em seu primeiro dia de negociações. 

O avanço da Viveo não foi exceção entre as últimas estreias. Levantamento feito pelo InvestNews mostra que, em cerca de 1 mês, somente 2 empresas tiveram baixa em suas ações no primeiro dia de negociações, contra 9 em alta. Veja abaixo:

DataEmpresaCódigoVariação da ação no 1º dia 14/julSmart Fit SMFT3 34,78%15/julCBA CBAV36,16%21/julDesktop DESK33,19%23/julMultilaser MLAS3 16,70%27/julUnifique FIQE3 -8,14%28/julTradersclub TRAD332,63%28/julArmac ARML333,37%29/julBrisanet BRIT3 0,07%30/julClearsale CLSA314%05/agoRaízen RAIZ4-2,16%09/agoViveo VVEO39,44%

Vale a pena entrar em IPO?

Entrar em uma Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês) “pode ser uma boa oportunidade para quem investe, conseguindo lucros relevantes”, escreveu a Eleven Financial em relatório. “Quem investiu na Locaweb (LWSA3), por exemplo, que fez seu IPO em abril do ano passado, pode ter conseguido ganhos de mais de 300% até o final de 2020, ou mais de 400% até o final do mês de junho.”

Mas subir no primeiro dia na bolsa é uma tendência? IPOs são boas oportunidades para o investidor? O analista José Falcão, da Easynvest by Nubank, recomenda cautela. Ele afirma que cada caso deve ser analisado de forma cuidadosa, e diz que o principal ponto de atenção para o investidor é o preço

“Não adianta uma empresa ser maravilhosa e pagar caro por ela, sua margem de segurança cai e o risco aumenta”, diz Falcão. Além disso, ele comenta que “é preciso entender o negócio, acreditar nos propósitos e capacidade da empresa de entregar resultados no longo prazo.”

Veja abaixo 4 cuidados que o investidor deve ter ao entrar num IPO, de acordo com relatório da Eleven Financial

1. Análise da empresa

O processo é o mesmo que se usa na hora avaliar o investimento em ações de empresas já listadas da B3. É necessário entender como é a gestão da empresa, seus resultados, potencial e sua participação no mercado de atuação.

2. Cuidado extra

No caso dos IPOs, é preciso ter um cuidado extra, já que a empresa não tem histórico de desempenho na bolsa para analisar e, em alguns casos, nem comparativo. É o caso da Petz (PETZ3), que fez IPO em 2020. Ainda não havia nenhuma empresa do setor de petshop com capital aberto aqui no Brasil para que fosse feita uma comparação. Assim, é preciso encontrar outras formas de analisar o potencial da empresa. 

3. Análise do prospecto da oferta

É nesse documento que a empresa divulga as informações, não só sobre a companhia, mas também os objetivos da captação. Este dado é fundamental para investidores entenderem o potencial de crescimento. 

4. Opinião de especialistas

O investidor deve procurar os comentários dos profissionais de casas especializadas em análise para entender quais são os riscos e as expectativas em relação à empresa. 

Próximos IPOs

IPOIPO

A fila de análises da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) tem atualmente 20 pedidos de registro de IPO. O mais recente é o da dona das cadeias de restaurantes Madero e Jeronimo, que fez a solicitação no dia 2 de agosto em busca de recursos para pagar dívidas e expandir os negócios.

Poucos dias antes, no dia 30 de julho, quem pediu registro de IPO foi a rede de academias de ginástica Bluefit – duas semanas após uma de suas principais rivais, Smartfit (SMFT3), ter estreado na B3 com uma operação bilionária.

Até o momento, foram realizados cerca de 30 IPOs em 2021. “A maior entrada de capital na B3 via IPO aconteceu em 2007, com R$ 55,6 bilhões. Até junho deste ano tivemos a entrada de R$ 38,2 bilhões via oferta pública inicial. Será que até o final do ano teremos um novo recorde, superando 2007?”, comentou a Eleven Financial em relatório.

Veja também